You Tube

Primeiro conto


olá gente linda tudo bom??.Comigo tuuudo ótimo!
Bem gente ultimamente ando escrevendo muitos textos, e quem me conhece no dia-a-dia sabe que eu amo de paixão ler, mas meu verdadeiro amor é escrever, e conversando com uma amiga esses dias ela leu um texto meu inacabado e me perguntou: “Cara! pq vc num posta isso no seu blog?”.
E eu respondi: Nunca me veio a mente que alguém quisesse de fato lê-los, bom não custa nada tentar não é mesmo, vai que alguém goste ou até mesmo compartilhe??!!
Esse é o primeiro de muitos texto que pretendo escrever aqui, espero que goste, pois aqui tudo é feito de coração.. Esse texto inicial é dedicado para essa semana romântica derivada ao dia dos namorados, é um texto inspirado em uma situação parecida, e acredito que possa ajudar muitas mulheres que passa por esses problemas... Vamos lá.

Essa sou eu,  casada há 5 anos. Se me perguntasse ontem, hoje e amanhã, direi com todo meu fervor, “EU SOU FELIZ,E NÃO TROCO MEU CASAMENTO POR NADA!”.
Pois ora, certa vez estava eu, acordando cedo preocupada com o trabalho, e retornando do mesmo, tirei o sapatos para relaxar!!
Que infeliz mentira dissera para mim mesma, olhei para meu marido que devido as tarefas extras do trabalho estava com um semblante muito cansado e via que os olhos dele me dizia que estava FAMINTO!!!
Relaxar?? isso é um difícil desfruto que uma dona do lar devera ter!!
Larguei minha velha bolsa, coloquei meu avental e fui preparar o jantar.
E assim sucedeu a semana, e os meses.
Certa ocasião estava eu com uma angustia no peito, como se me faltasse algo, como se sentisse saudades de alguém. Imaginei logo que se tratava de meus pais, já que fazia pelo menos 1 mês que não os via.
Por ocasião do destino, os próprios vêm me visitar, Vieram, alegraram meu dia, tomaram uma boa xicara de chá e partiram.
Mas infelizmente aquela sensação de saudades de alguém tão querido não havia passado, imaginei então que se tratava de minha irmã que há algumas semanas não havia lhe avistado. Imediatamente liguei para ela, chegamos a passar 1 hora no telefone colocando as "fofocas" e dia. E passado esse tempo desliguei.
E para minha surpresa estava eu  ainda com a presente  sensação perturbadora e tenebrosa de que não via uma querida pessoa há muito tempo.
Mas em fim, eu iria trabalhar no dia seguinte já era tarde e não tinha tempo para essas "bobagens" de Saudades do invisível.
Os dias se passaram e aquela sensação de saudade já virara angustia.
Estava eu muito irritada, descontava tudo em todos, discutia por tudo e brigava por nada!
Meu marido vendo o estado que eu estava, chegou a assumir várias tarefas de casa, dizia para mim relaxar, ele com medo de uma eventual briga, e escolhas desnecessárias!
Um dia vendo ele cansado como estava, mas mesmo assim fingindo que estava "em pé" para ajudar a aliviar minha raiva, que nem mesmo eu que a possuía sabia qual era sua origem. Tomei coragem e disse:
"Hoje você não fará tarefa alguma em casa, venha aqui, fique comigo um pouco e amanha faremos juntos, o que tiver de ser feito".
Ele nem ao menos retrucou, só balançou a cabeça como um sinal de que estava esperando isso mesmo acontecer.
Fui ao quarto, peguei algumas cobertas e travesseiros, colocamos um filme de comédia romântica para assistir (mesmo ele não gostando, aceitou para meu agrado)
Ele se deitou o meu colo, e comecei a passar a mão em seus cabelos, e percebi a nascimento de 3 fios brancos, comentei com espanto, e ele me respondeu que havia meses que esses fios já "morara" em sua cabeça.
E eu mesma e questionei onde estava minha atenção que não reparei neste homem que se deita e acorda comigo, que não havia reparado nesses 3 fios.
De repente ele se levanta e senta ao meu lado, me deu sua mão que sempre tão quente me trás conforto e segurança. Deitei-me em seu ombro, relembrando os tempos de namoro, que queríamos congelar o relógio e ficar assim para sempre..
Sinceramente não me lembro de que filme, ou contexto dele era. Comecei a reparar meu marido, como ele conseguia ter esse rosto tão lindo, essa pele tão macia, e me vi contando as pintinhas do seu rosto! Coisa que fazia somente no namoro.
Ele com uma expressão de duvida, olhava pra mim como se dissesse:
"Bel. tá tudo bem?"
Comecei a beijá-lo, e fazer carinho em seu rosto, e ele também fizera o mesmo. o filme já havia acabado, imaginei que estávamos á pelo menos 1 horas após o termino do filme somente nos curtindo, dando risadas de conversas bobas, relembrando coisas antigas, olhei para o relógio já era hr 03:45, da manhã. Iriamos trabalhar no dia seguinte, mas não liguei, estava tão feliz e satisfeita com a companhia de meu marido que não havia espaço para o sono, ficamos ali, nos beijando, e conversando. Os celulares por sorte havia acabado as baterias, portando as redes sociais não iria interferir naquele momento tão especial!
Por fim adormecemos no sofá, acordei com as costas doloridas pois ele não era tão confortável como minha cama.
Fiz nosso café, com um sorriso nos lábios, e ele também, como de costume ele me deixou no trabalho e fomos fazer o nosso dia.
Todos no trabalho estavam me perguntando se eu tinha alguma novidade, e não fazia ideia do que se tratava, e frases como:
“você viu o passarinho verde?”
“nossa! o que tinha no seu café?”
“Conseguiu resolver seus problemas?”
Eram ditas constantemente.
E foi nessa hora que percebi, que aquela angustia, e saudade de algo desconhecido havia passado.
Fiquei me perguntando o que aconteceu que fez me sentir tão bem, e cheguei a uma conclusão.
EU ESTAVA COM SAUDADES DO MEU PRÓPRIO MARIDO, aquele cujo vejo todos os dias, que divido meus problemas e minhas contas. Aquele que não tenho segredos, porém devido a preocupação de cuidar de tudo que conquistamos acabei me afastando dele, e sentindo saudade do próprio.
E com esse episódio eu aprendi que as tarefas de casa e do trabalho são sim importantes, mas não ao ponto de fazer você se afastar do motivo pelo a qual as executa!

Elizabete de M. Higa